‘Gemidão’ do WhatsApp interrompe sessão de Câmara.

0
9

Um vereador teve o pronunciamento interrompido durante a discussão de um requerimento na sessão da Câmara de Votorantim (SP), na terça-feira (15), após o presidente do Legislativo abrir um vídeo com o “gemidão” do WhatsApp.

De acordo com o parlamentar que ocupava a tribuna, Adeilton Tiago dos Santos (PPS), ele discursava sobre o fechamento de rua para uma festa na cidade. No entanto, o presidente – que estava com o microfone aberto – foi verificar o arquivo no celular e provocou a situação.

“É constrangedor. Estávamos discutindo um requerimento de vereador. É algo sério, mas paramos por alguns segundos depois de todos darem risada. Eu continuei falando porque o importante era a minha fala e não o vídeo. A gente está numa casa de leis e uma pessoa manda isso? Não pode acontecer”, diz Adeilton.

Situação inusitada envolveu os vereadores Bruno e Adeilton em Votorantim (Foto: Reprodução) Situação inusitada envolveu os vereadores Bruno e Adeilton em Votorantim (Foto: Reprodução)

Situação inusitada envolveu os vereadores Bruno e Adeilton em Votorantim (Foto: Reprodução)

Em nota, a Câmara informou ao G1 que o vereador Bruno Martins (PSDB), presidente do Legislativo, foi vítima ao ser induzido a abrir a mensagem que veio com um aviso de que o assunto era pertinente ao que estava sendo discutido (veja a mensagem abaixo).

Sem perceber que o som do celular estava ligado, ele foi surpreendido com o som do “gemidão”, que ecoou pelo microfone.

Em contrapartida, Bruno disse ao G1 que abriu uma mensagem supostamente relacionada ao evento discutido naquele momento na sessão, enviada pelo assessor de uma vereadora. Bruno conta que o rapaz foi advertido após a “brincadeira”.

Presidente do Legislativo de Votorantim afirma ter sido vítima do gemidão do Presidente do Legislativo de Votorantim afirma ter sido vítima do gemidão do

Presidente do Legislativo de Votorantim afirma ter sido vítima do gemidão do “WhatsApp” (Foto: Reprodução/Câmara de Votorantim)

“O celular é uma ferramenta que usamos para comunicação com a assessoria, é para trabalho. Se souber usar, é fantástico. Eu falei com ele [assessor] para não repetir mais isso”, explica o presidente.

Após a situação embaraçosa, o vereador afirma que não pode proibir os colegas de trabalho a usarem o aparelho, porém ele irá mudar os hábitos. “Vou alinhar tudo antes com minha equipe para não precisar usar o telefone.”

DEIXE UMA RESPOSTA