Pastor que matou filho e enteado queimados molestou as crianças antes, conclui Polícia .

George Alves, pastor que matou o próprio filho e o enteado em Linhares, norte do Espírito Santo, também estuprou as crianças antes de queimá-las vivas. Inquérito policial foi divulgado nesta quarta-feira, 23. Informações são do portal G1.
A Polícia encaminhará o inquérito à Justiça na próxima semana. O pastor está preso temporariamente, mas sua prisão foi prorrogada por mais um mês. George foi indiciado por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulneráveis. O crime aconteceu na madrugada do dia 21 de abril. George foi preso no dia 27 de abril
Kauã Salles Butkovsky, 6, e Joaquim Alves Salles, 3, moravam em Linhares com George Alves e a mãe, Juliana Salles. George era pai biológico de Joaquim. A mãe dos garotos estava em Minas Gerais com o filho mais novo do casal.
A pena do acusado pode chegar a 126 anos. “O conjunto de indícios nos demonstra que, naquela madrugada, o investigado, inicialmente, molestou as duas crianças, tanto o filho biológico Joaquim quanto o enteado Kauã”, concluiu o delegado André Jaretta.
Na tentativa de esconder o ato sexual, o pastor bateu nas crianças, ato que foi comprovado pelos vestígios de sangue no banheiro. Enquanto ainda estavam vivas, mas desacordadas, o criminoso as levou até uma cama e ateou fogo nelas. Meninos morreram carbonizados.
Versão do pastor 
O acusado contou em depoimento que tentou salvar as crianças pelo menos três vezes. “Escutei os choros, a gritaria, eles gritando ‘pai, pai’. Pus a mão na cama e queimei as mãos, mas não consegui pegar”, disse.