TCE intima prefeito de Sousa sobre denúncia de irregularidades no Samu

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) mandou intimar o prefeito de Sousa, Fábio Tyrone, para comprovar se foi apurada denúncia de um servidor do Samu sobre desmandos na gestão do órgão e mau uso de recursos públicos.

O funcionário Gervásio Bernardo fez a denúncia, em setembro do ano passado, de pessoas que não trabalham recebem salários em dobro no Samu, e também de falta de psiquiatras nos Caps.

A denúncia, no entanto, foi encaminhada ao TCE pelo procurador do Trabalho Claudio Cordeiro Queiroga Gadelha, por meio de ofício (nº 258/2017) do Fórum Paraibano de Combate à Corrupção (Focco), após audiência pública realizada no dia 12/09/2017, no município de Sousa.

Agora o TCE está cobrando do prefeito documentos que comprovem a apuração das denúncias ou declaração de que o caso não foi apurado. E pede ainda a relação dos psiquiatras contratados pela Prefeitura Municipal de Sousa, contendo, no mínimo: nome, CPF, nº do registro no CRMPB, local onde presta serviços, horário em que presta serviço. O prazo para fornecimento das informações é de cinco dias.

“Há pessoas que não trabalham no Samu, são efetivos, mas faz mais de seis meses que não andam lá, estão na folha dobrada. Está um dia na UTI e outro dia na básica. Já teve, no mês passado, servidores que estavam no mesmo dia em uma UTI e em uma básica. Então, essa dobra de salário está indo para onde? Isso eu costumo chamar de roubo. Tem um nome bonito de improbidade administrativa, mas isso é roubo, estão botando a mão no dinheiro do Samu”, disse o servidor Gervásio na época.

Gervásio afirma que os Caps não funcionam adequadamente porque não têm psiquiatras, os profissionais que lá estão concursados como psiquiatras não comprovam títulos em psiquiatria, tanto que não são membros das entidades de classe.

“O Samu está um caso de polícia. Colocaram uma cidadã Nadjara Cristina que ultimamente tem interferido em todas as outras coordenações. Vinha tudo funcionando com harmonia, mas ela conseguiu tirar do café da manhã o ovo e o leite, é só pão e margarina com uma xícara de café. A janta tem saído macarrão com salsicha.  Não coloque um homem que vai trabalhar, pegar peso, para comer macarrão com salsicha que ele não dá duas horas de trabalho decente”, disse.

Na época da denúncia, Tyrone afirmou acreditar que o fato não passou de uma brincadeira do servidor.

TCE PB