Como Alfabetizar Alunos com Dificuldades de Aprendizagem

10
Como ensinar alunos com dificuldades de aprendizagem

Como alfabetizar alunos com dificuldades de aprendizagem? Essa pergunta faz parte do cotidiano de muitos pais e educadores que têm contato com crianças que não aprendem no mesmo ritmo do que outras.

Uma vez que somos adultos já não lembramos como foi nosso processo para aprender a ler e escrever. Mas sabemos da sua importância para a nossa vida. Afinal, ser alfabetizado nos faz ter um contato diferente com o mundo.

Porém, apesar de parecer uma tarefa fácil, a alfabetização não se dá de maneira igual para todos. Para algumas crianças em idade escolar, aprender a ler e escrever pode ser bem difícil. Isso porque elas precisam de estímulos diferentes para aprender e, em muitos casos, a escola, o professor e a família não estão preparados.

Com o intuito de responder a pergunta de como alfabetizar os alunos que têm dificuldades para aprender, primeiro vamos falar sobre o que é dificuldade:

Dificuldades de aprendizagem

Dificuldade de aprendizagem nada mais é do que uma limitação que a criança tem para desenvolver alguma habilidade.  Esse limite está associado, por exemplo: com o contexto social e cultural da criança ou à algum trauma em relação ao ensino.

Nesse ponto, você deve estar se perguntando onde se encaixam as crianças com dislexia ou Síndrome de Down, por exemplo. Essas crianças têm o que se chama de distúrbio.
Você sabe diferenciar dificuldade e distúrbio de aprendizagem? É sobre isso que vamos falar agora:

Dificuldade ou distúrbio

Antes de pensar em como alfabetizar o aluno que aprende num tempo diferente do restante da turma, é relevante diferenciar o que é dificuldade do que é distúrbio de aprendizagem.

Dificuldade de aprendizagem tem relação com o aluno que não se adequa com o método de ensino. Assim, o método utilizado, o espaço físico da sala de aula e o contexto do aluno são fatores que prejudicam o ato de aprender do aluno.

Já o distúrbio de aprendizagem, por sua vez, tem relação com problemas que vão além da causa educativa. Existem muitos distúrbio que podem resultar num desempenho escolar abaixo do esperado.

Por isso, para fazer o diagnóstico do aluno, é preciso avaliá-lo tanto do ponto de vista educacional quanto da saúde. Essa avaliação precisa ser feita por vários profissionais.
Alguns exemplos de condições que podem dificultar o aprendizado são: dislexia, disgrafia, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), transtorno do espectro autista e Síndrome de Down.

Aqui é importante fazer uma ressalva muito grande: essas condições podem dificultar o processo mas, todas as crianças podem aprender, desde que o método usado seja adequado para elas.

Como alfabetizar alunos com dificuldades de aprendizagem

Como alfabetizar alunos com dificuldades de aprendizagem

Em primeiro lugar, devemos tirar da cabeça a ideia de que o aluno não aprende porque não quer.

Com isso, lembramos que apesar das dificuldades, todos têm condições de aprender. Sendo assim, cabe à escola, ao professor e à família, acharem formas de ensinar que sejam atraentes aos alunos.

Nesse sentido, para alfabetizar o aluno que tem algum tipo de dificuldade, é preciso um esforço conjunto dessas três esferas:

Papel da escola

A escola tem o papel de aproximar o professor e a família do aluno. Cabe ao coordenador pedagógico apoiar e incentivar o professor a pensar em atividades que favoreçam o aluno a aprender.

Outro ponto que destacamos é de que a escola tenha um plano de aprendizagem que seja bem fundamentado. Com isso, será mais fácil e efetivo identificar os alunos com dificuldades e planejar soluções para eles.

Papel do professor

Aqui, o papel do professor é essencial pois é ele que tem contato diário e próximo com o aluno. Tendo em vista que cada aluno aprende de um jeito, cabe ao professor planejar atividades de ensino que sejam lúdicas e que estimulem diferentes habilidades do aluno como, por exemplo: a audição, a visão e os sentidos.

Papel da família

Sem dúvida, a família tem papel essencial na alfabetização das crianças. Isso porque, cabe a ela, dar apoio e estimular o processo de aprendizagem. Assim, a família precisa participar de forma ativa em todo processo.

Para fazer isso, dentro de casa, a criança deve ser estimulada e ter apoio para aprender. Fazer alguns jogos com letras e palavras e jogá-los com a criança pode dar mais confiança para ela.

Ação conjunta

De acordo com o Instituto Neuro Saber, é fundamental que haja uma troca de experiências entre escola, professores e responsáveis para alfabetizar alunos com dificuldades de aprendizagem. Portanto, para que o aluno com dificuldade consiga, de fato, ser alfabetizado, é atuação conjunta de todos é essencial.

Será preciso, por exemplo, estimular as habilidades do aluno com materiais e exercícios próprios para isso. Essas atividades devem ser feitas depois de observar a maneira como o aluno aprende.

A seguir daremos alguns exemplos de atividades que podem ajudar tanto pais quanto professores:

Sugestão de atividades

Cartazes de sílabas

Em uma cartolina, cole várias sílabas coloridas. Nesse exercício, o aluno pode começar a formar palavras a partir das sílabas que ele já identifica. O uso das cores para diferenciar as sílabas ajuda o aluno a memorizar e associar as letras e palavras.

Estojo de letras

Desenhe as letras do alfabeto em materiais como tampas de garrafas ou então em um papel mais duro e depois coloque-as em um estojo ou caixa. A atividade consiste em fazer o aluno tirar uma letra da caixa e, de acordo com a letra que ele tirar, dizer uma palavra que comece com ela e quem sabe comece a colorir desenhos.

Além dessas atividades, existem muitas outras que podem ser feitas para estimular o aprendizado. Uma última dica que podemos dar é: faça a criança participar do processo de criação dos jogos. Assim, ela terá mais confiança em quem a está ajudando e também para jogar, quando o jogo estiver pronto.

Gostou do nosso conteúdo? Então confira outros artigos de educação!